Loading...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Como se já não bastasse a dor do desaparecimento...

É cruel mas é verdade! Como se já não bastasse a dor do desaparecimento de alguém que você ama profundamente ainda sofrer pelo descaso, pela burocracia, pelos limites regionais, etc.

Como um pai ou mãe pode suportar isso? Tenho visto as matérias divulgadas pelas famílias que tem entes desaparecidos e a via crucis que enfrentam ao percorrer sem sucesso tantos órgãos burocráticos. Sei que em muitos lugares existem limitação física, financeira, etc. Que os profissionais se superam mas não podem fazer o suficiente pela impotência que há muitos é imposta. Mas o que fazer numa hora dessas? Pedir a um pai ou mãe que espere "sentada" enquanto esses órgãos agem é pedir a morte em vida. Li que uma mãe perambulou por uma semana atrás de ajuda e chegou a desmaiar de fome e cansaço na rua (mães do brasil) enquanto um delegado dizia que sua filha desaparecida estava em companhia do namorado e pelo que pude inferir da leitura, por pura maldade sem nenhum registro contundente.

Precisamos de um órgão centralizador além fronteiras afinal tudo é Brasil, precisamos de pessoas confiáveis a quem nos dirigir, precisamos de leis que regulamentem a urgência que esse caso requer, pois o tempo é precioso demais para ser desperdiçado com coisas pequenas. O fator tempo pode salvar vidas.

Vi também em minhas pesquisas atrocidades que são cometidas com nossas crianças e as autoridades se prendem a papéis enquanto os criminosos aproveitam para serem ainda mais cruéis do que o imaginável humano.

Precisamos de uma mobilização urgente para mudar o quadro que aí se encontra: medidas urgentes assim que for detectado o desaparecimento, tendo em vista que, a demora dificulta e muito e por vezes até impossibilita o retorno.

Peço ajuda as pessoas de bem que podem me assessorar nesse empreendimento: advogados, policiais, órgãos ligados ao tema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário